The Last of Us Remastered – Análise

ago
12

The Last of Us Remastered – Análise

  • História
  • Som
  • Jogabilidade
  • Gráfico
  • Multiplayer

Olá! Aproveitando o lançamento do jogo The Last of Us Remastered fiz esta análise e usarei os seguintes critérios para avaliação: História, Som, Jogabilidade, Gráfico e Multiplayer.

O ponto forte da franquia, quando esperávamos que a Naughty Dog não criaria nada tão épico quanto Uncharted, veio com The Last of Us para deixar bem claro de que se trata de uma grande empresa. TLoU[Remastered] nos envolve do início ao fim, diálogos bem trabalhados, cada personagem com a sua peculiaridade, uma história com desenvolvimento de dar inveja a qualquer produção Hollywoodiana com efeitos sonoros envolventes, multiplayer não tão vasto mas que nos garante um fator replay dando uma vida mais longa ao jogo, gráficos adaptados para o PS4 que nos faz ficar com aquela vontade de ver o que teremos nessa nova geração de consoles.

Com isso em mente, vamos procurar a luz!

 

História:

O jogo se passa frente a uma contaminação causada pelo fungo Cordyceps afetando quase toda a população e os maiores índices de infecção estavam focalizados nos que moravam ou frequentavam os grandes centros, evitando spoilers(apesar de ser um remastered e acredito que poucos ficaram sem jogar) para não estragar as surpresas e garanto que são muitas, focarei no básico.

Depois de um início dramático numa tentativa desesperada de Joel e cia escaparem do ataque dos infectados temos um desfecho trágico logo no início do jogo. Passados 20 anos do primeiro dia da epidemia, Joel e Tess precisam fazer uma entrega por causa de uma transação malsucedida e se deparam com o grande desafio, transportar a adolescente Ellie para uma base dos Vaga-lumes, um grupo da resistência. Joel é com certeza um personagem muito bem trabalhado e toda a angustia com pitadas de remorso e ódio transformam ele num personagem único e marcante por muitos anos. Ellie se trata de uma adolescente complicada, normal até ai, se não fosse por um detalhe que iremos conferir mais à frente.

Com um enredo forte e em grande parte bem amarrado, The Last of Us Remastered nos proporciona horas e horas de excelente material muito bem ambientado num cenário pós-apocalíptico acompanhando o desenvolvimento dos personagens Joel e Ellie do início ao fim(?), lembrando que essa versão remasterizada ainda traz o DLC (Downloadable Content) Left Behind contando um pouco sobre a “amizade” entre Ellie e sua amiga Rilley com uma cena de causar polêmica aos telespectadores da novela das oito.

Durante muito tempo não via um jogo com tamanha imersão, The Last of Us certamente fez com maestria transformando o que é perfeito em algo épico, que venha uma possível continuação.

 

Som:

Começarei com uma palavra que resume tudo sobre esse tópico, ESPETACULAR, essa palavra descreve a trilha e os efeitos sonoros do jogo. Trilha sonora do grande compositor argentino Gustavo Santaolalla vencedor de Oscars coloca toda tensão e ação que TLoU merece.

A imersão sem igual torna junto ao enredo um jogo singular e faz com que o “espectador” (repare que não escrevi jogador, pois é assim que você se sentirá na maior parte do tempo) praticamente se sinta dentro da trama. Para quem possui headset (Pulse, Turtle Beach e afins) fica a dica, use-o, não irá se arrepender. Só uma coisa me incomodou um pouco, o áudio dublado Português-BR em alguns momentos ficava com o volume baixo nos diálogos tendo que recorrer a legenda para entender o que era dito.

 

Jogabilidade:

Se um jogo tenso e dramático pede uma jogabilidade que condiz com o mesmo, os desenvolvedores fizeram isso com perfeição, TLoU te coloca numa perspectiva em terceira pessoa controlando Joel e em alguns momentos Ellie nota-se que mesmo se tratando de TPS (Thirdy Person Shooter) não facilita a sua vida em momento algum. O controle das armas no início do jogo já prova que será difícil o famoso “headshot” durante a trama você pode evoluir tanto o personagem quanto suas armas escolhendo onde torná-lo melhor, seja em habilidade com a mira, aumento da barra de energia, maior velocidade na movimentação, possibilidade de matar Estaladores (infectados mais fortes) utilizando a faca, então explore todos os cômodos para coletar os itens necessários para que sejam feitos os upgrades.

Sobre a Inteligência Artificial(AI), se jogando no modo Fácil, Normal e Difícil já trazem um pouco de desafio enquanto que nos modos Sobrevivente e Punitivo exige uma estratégia e muita, muita paciência, em alguns momentos poderia jurar que o meu controle era um frisbee. Traz além de uma imersão absurda que te prende aliado a uma dificuldade que realmente te desafia a jogar sem cometer erros e se você espera encontrar munição em todas as gavetas, esqueça, cada tiro desperdiçado é um desafio a mais na próxima fase.

A jogabilidade é fluida e sem aquele malabarismo que podemos ver em outros jogos do estilo, traz uma movimentação sóbria e próxima a realidade. O único problema para a minha experiência no jogo foi que em alguns momentos os seus amigos mais te atrapalham do que ajudam e por sorte eles não chamam atenção dos inimigos correndo que nem loucos pela sala senão teríamos uma experiência desastrosa.

 

Gráfico:

A versão do PS3 já era uma obra-prima se considerarmos as limitações da época e com a versão Remastered para o PS4 podemos ver o que a Naughty Dog poderá nos proporcionar futuramente, basta conferir o vídeo liberado do Uncharted e teremos uma ideia do que ainda virá. Rodando em fullHD(1080p) e aproximadamente 60fps, com opção para travar em 30fps o que eu não aconselho à ser feito pois tira um pouco a fluidez do jogo e fica perceptível a olho nu as quedas de frames (quadros). Esta versão remasterizada pode ser colocada como uma das mais bem feitas na história dos jogos e até quem já jogou a versão anterior se sentiu tentado a adquirir a nova, então uma dica para quem já jogou no PS3 e comprou um PS4, não deixe TLoU Remastered fora da sua biblioteca.

Se você se deparar babando não fique assustado, é o efeito Remastered do TLoU, com cenários muito detalhados e personagens muito bem desenhados, um show à parte para as CGs (Cutscenes) faz com que algumas pessoas que não conhecem o jogo perguntem qual o filme que você está assistindo e até onde sei foram feitas pela própria engine do jogo.

Alguns printscreens do jogo para traduzir o que escrevi, afinal de contas uma imagem pode valer mais do que mil palavras:

The Last of Us™ Remastered_20140812213820

The Last of Us™ Remastered

The Last of Us™ Remastered_20140812214409

The Last of Us™ Remastered

The Last of Us™ Remastered_20140812002

The Last of Us™ Remastered

Não é uma versão remasterizada digna? 🙂

 

Multiplayer:

Para finalizar, um pouco sobre o modo multiplayer online de TLoU Remastered, você tem a opção de customizar o seu personagem, seja desbloqueando itens conforme evolui de nível ou por meio de DLCs, a combinação entre armas e acessórios se torna imprescindível para criar uma forma singular nos modos de jogo, vamos a eles:

– Modo Suprimentos – o objetivo é eliminar todos da equipe inimiga quem obtiver o maior número de eliminações é o vencedor, portanto neste modo jogar em uma equipe unida é fundamental.

– Modo Sobreviventes – o último que permanecer vivo é o vencedor, cada um por si ao velho estilo olho por olho e dente por dente.

– Modo Interrogatório – é o que mais se difere dos jogos que estamos acostumados, nele você precisa interrogar os adversários para que seja localizada a caixa e depois desbloqueada, estratégia e jogo em equipe se faz importante.

O multiplayer peca na quantidade de modos de jogo online se tornando apenas um algo a mais o que não quer dizer que não seja divertido.

 

Conclusão:

Para quem gostaria de ter um dos melhores jogos da geração passada de consoles pode ir sem medo de errar, The Last of Us Remastered sem dúvida alguma faz jus ao nome, vale a pena conferir.

 

Sobre Daniel

Programador e baixista apaixonado por jogos e aquela cervejinha com os amigos ;)

Facebook

Twitter

Publicidade

Publicidade